Oi meninas,

Finalmente fiz as pazes com a plataforma nova do blog, e consegui subir o post de hoje. ( Eeeee…..)

O assunto que escolhi para falar, é sobre um dilema que vejo muitos pais sofrerem : A decisão de ter ou não um segundo filho.

Muitas mães me escrevem perguntando sobre isso, então resolvi compartilhar um pouco da minha história com vocês.

Esta é uma questão muito pessoal, que envolve fatores que só competem o casal. Nada e ninguém sabera tomar esta decisão melhor, do que vocês -pais.

Confesso que para mim, tomar esta decisão foi muito mais dificil do que da primeira vez. Me da a impressão que a carga de responsabilidade na segunda vez, acaba sendo ainda maior – até mesmo, por você já saber o quanto esta decisão requer do casal.

Não é da minha personalidade ter/fazer tudo tão planejado na vida… Eu sempre fui muito mais do time das pessoas que costumam seguir os instintos e respeitar o tempo pessoal, do que realmente me preparar para as coisas. A chegada da  Victorinha ( minha 1˚ filha)  apesar de ter sido muito desejada, nunca foi efetivamente planejada. Nós não estavamos na nossa melhor fase financeira, tão pouco estavamos vivendo a nossa melhor fase profissional. Mas por outro lado, eu e meu marido já estávamos casados a 3 anos, e eu já sentia o “tic tac”  biológico apitar. E foi assim…sem ter tudo perfeitamente ajustado que nossa Victorinha chegou pra colorir a vida !

Com a chegada dela, como sabem….me permiti tirar um ano sabático e  pude curtir intensamente a maternidade. Eu e ela (a Victoria) erámos um grude!! E  foi com ela, que descobri a minha maior vocação: ser mãe!

Já até comentei sobre isso no blog anteriormente….
Basta ter o primeiro filho que todo mundo já começa a perguntar :  “E aí, quando vem o segundo?”.

Mal dá tempo da gente assimilar a nova vida, que já vem a cobrança pelo segundo! ( coisa mais chata, não é não ?)

Sempre tem em nossa vida, aquelas pessoas intrometidas e cheias de opinião que soltam comentários do tipo: –  “Ah, você não pode ter só um filho… filho único não é bom!” ou  - “Quem tem um, não tem nenhum ! ”

A verdade é, que eu já tinha alcançado uma felicidade tão plena com a chegada da Victoria na minha vida, que eu não sentia necessidade alguma de ter outro filho. Eu estava certa que um segundo filho, não faria eu me sentir mais mãe do que eu já me sentia. E continuo tendo esta opinião….tenho certeza que as mães de um único filho, não se sentem “menos mãe” por terem optado em ter um filho único. Somos todas mães, seja de um ou de dez filhos ! O sentimento de amor incondicional é o mesmo.

Mas enfim….desde que me conheço como pessoa, nunca pensei que fosse mãe de um único filho. Adoro a idéia e o conceito de uma familia grande, cheia de irmãos para brincar. Vislumbrar todos em volta de uma mesa, era o que eu mais fazia nos meus momentos de indecisão. Certamente a minha decisão de engravidar a segunda vez, foi  tomada pensando muito mais na Victorinha do que em nós mesmos ( nós = eu e meu marido /incluo meu marido, pois sei que ele compartilhava da mesma opinião na ocasião). Digo isso, porque comecei a pensar se não seria importante proporcionar para ela a experiência de ter um irmão, alguém com quem pudesse brincar, proteger, dividir segredos, um confidente dentro de casa, um melhor amigo para toda a vida….

Então porque foi tão dificil decidir ?! Porque este dilema que assombra tantos pais ?

Porque querendo ou não, esses “desejos e anseios” esbarram no departamento financeiro – temos que encarar a realidade – ter filho  é caro! E não é só o lado financeiro que pesa na decisão de ter um segundo filho…é também a qualidade de vida que podemos oferecer à eles. Quando a gente tem filhos, quer dar o melhor para eles! Eu e meu marido conversamos muito a respeito de ter ou não um segundo filho, ponderamos tudo…. até tomarmos a nossa decisão.

…como não chegavamos à um consenso, a decisão foi deixada nas mãos de Deus. Nos permitimos….e foi então, que recebemos de Deus mais um presente – Sofia.

Dá mais trabalho ter duas filhas? Dá!

Tivemos e temos que fazer concessões? Sim!

O “glamour” deu espaço para opções mais “alternativas”? Sem dúvida!

Mas quando vejo as duas juntos, tão felizes, e sendo testemunha deste amor e amizade que so cresce entre elas….não consigo pensar como seriam nossas vidas sem a nossa caçulinha!! A chegada da Sofia completou ainda mias a minha pequena família. Sou ainda mais realizada sendo mãe de duas meninas.

Sofia irá completar 1 ano de vida, na semana que vem….e para ser bem sincera, quando ela estava com uns 6 meses de vida mais ou menos, já me peguei várias vezes sonhando e pensando em como seria ter mais um.

Uma casa cheia de crianças fazendo farra, e me enlouquecendo de tanta felicidade.  Se eu pudesse – quer dizer, se eu tivesse tempo e dinheiro – teria fácil uns quatro ! rs

Compartilhe:
  1. Jeniffer Reply

    Qual a diferença de idade entre as duas?

    • Miriam Wu Reply

      A diferença é de exatos 2 anos e meio. Bj

  2. Patricia Parreira Reply

    Me senti igual. Quanta cobrança desnecessária! Rs E as insinuações sobre o sexo do novo bebê! Aff. Enfim… já tenho minha pequena Sofia de 3 anos e agora estou gravida de novo e queria te agradecer e dizer que estou muito feliz pelo retorno do blog. Me ajudou muito e sei que me ajudará novamente nesta nova aventura! Adoro a maneira como vc escreve…me sinto visitando uma amiga! Rs Bj

  3. Mary Brancatte Reply

    Que delícia Mi!!!! Estou a espera de um irmão ou irmãzinha para a Nina também. A decisão foi totalmente emocional. Acho que é o tipo de coisa que se você começa colocar muitas questões racionais em jogo desiste. Me vi em você dizendo que imagina a mesa cheia… rsrsrsrsrsrs. Beijos!!! Mari

  4. Neima Reply

    Oi, Miriam!
    Senti sua falta nesse tempo longe do blog. Acompanho desde a gestação do meu primeiro baby, e hoje tive uma boa surpresa ao ver que vc está de volta.
    O Gu tem 1 ano e 7 meses e eu estou entrando no sexto mês de gestação do segundinho. E aqui eu e o marido sempre quisemos ter pelo menos 2 filhos. Concordo com tudo o que vc disse, e acho que se formos esperar pelo momento ideal a gente não toma essa decisão nunca. Então aqui tb deixamos rolar e estamos muito felizes:)))

    Um beijo e seja bem-vinda de volta!

  5. Bárbara Sarkis Reply

    Mi, que post lindo, super sincero, daqueles em que abrimos nossa alma!
    Realmente ter filhos requer uma decisão muito madura e serena, mas é a melhor decisão que podemos tomar. :)
    As pessoas são tão sem noção que, quando dizemos que só teremos um filho, nos chamam de egoístas. Daí temos o segundo, e se acham no direito de dizer que está na hora de parar. Imagina o que já não ouvi agora na terceira gestação???
    O mundo seria tão melhor se cada um cuidasse da própria vida e respeitasse a decisão dos outros, afinal a realidade de cada um é algo tão pessoal.
    Beijos,
    Bárbara
    http://babydicas.com.br

Deixe uma resposta

*

captcha *